quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Frases soltas... (1)

Quando nos apaixonamos por alguém, quando nos sentimos felizes por ter esse alguém connosco, quando pensamos constantemente nessa pessoa, quando fazemos de tudo para a agradar, é quando mais nos esquecemos de nós, é quando começamos a gostar mais dessa pessoa do que de nós mesmos, é quando vamos contra alguns dos nossos princípios. Quando nos apercebemos dessa situação, é quando já não estamos felizes com nós mesmos. E quando assim é, basta apenas mudar de estratégia no amor!

Evito os fritos, mas quando os como, gosto de os comer frios. Gosto de os pôr no frigorífico, para que fiquem moles e frios. Gosto de os ir buscar ao frigorífico logo pela manhã (em pequenas quantidades e mesmo assim é raro comer). Gosto de comer carne e arroz frio, mas fora de refeições.

Não gosto de beber leite pela manhã, pesa-me o estômago, não gosto de beber sumos ao natural, gosto deles bem geladinhos, seja Inverno ou Verão.

Se estiver em casa e tiver que lavar os dentes, mas não for altura de tomar banho, gosto de escovar os dentes passeando pela casa ou a ver TV. Quando vou tomar banho à noite lavo sempre os dentes na banheira enquanto tomo banho. Não gosto de os lavar fora depois de ter tomado banho.

Detesto quando insistem numa coisa contraria ao que digo quando tenho plena consciência e certeza de que a pessoa está a mentir, Fico cega com isso.

Não gosto de tocar em animais, acho-os bonitos à distância. Parece que tenho fobia aos bichos.

Detesto ver televisão com pessoas que comentam constantemente o que se está a passar, ou quando não percebem o que se passou e perguntam quando eu estou atenta, também não gosto quando estou a ver um filme e começam a dizer o que se vai passar.

Gosto de ver filmes com preferência aos de terror. Gosto de os ver sozinha, no escuro. Colecciono filmes e coloco-os com números e ponho-os por ordem na estante.

Não gosto que mexam nas minhas coisas, nem amigas nem família. Não guardo nenhum segredo, mas simplesmente acho que é puro respeito nas nossas coisas pessoais.

Tenho varias vezes visões quando estou acordada(vá, já não tenho à uns dois meses). São como pesadelos enquanto estamos a dormir, mas neste caso estou acordada quando tenho as visões. São sempre com pessoas que gosto e inclui sempre a vida ou a morte, ficando a visão a meio sem saber se se morreu ou viveu. Não fico paranóica com isso, apenas pensativa.

Já sonhei varias vezes o mesmo sonho, sem tirar nem pôr. tenho imagens na cabeça desde pequena, apesar de nunca ter visto tal coisa. Fico a pensar se não são imagens de outra vida.

Acredito na reencarnação. Não acredito que viemos ao mundo para esta viver uns anos e depois morrer dado como fim a nossa existência. Acredito que voltaremos, não com o mesmo corpo, mas com a mesma alma, as mesmas características.

Provavelmente ninguém ou quase ninguém irá ler este post, muito menos com uma extensão como este, mas foi uma forma de "desabafar" o que me apetecia. Agora que não me vem mais nada à cabeça, dou como terminado este post.

domingo, 24 de outubro de 2010

Obrigado Otário :)

Como tinha dito no post anterior, aqui deixo o comentario do participante, como post :)

Sempre que passo por aqui
Onde se encontra a soraia,
Resplandece-se-me um céu
Aberto de flores caqui.
Indo eu embora, fica
A i o sol que se lhe raia!

Senhora da fotomontagem, uma
Imaginação sem fim... moça
Livre e sem porquês,
Vantajosa e vai vivendo,
Assim, um dia de cada vez

Gostei bastante :)

(S* foste batoteira, como tal, deixei no sitio dos comenterios :D)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Um desafio diferente

Desta vez não sou eu a fazer algo que vocês queiram (por ex montagens).
Já tive que ler partes de blogues para conseguir perceber como era cada pessoa, já tive que identificar essas pessoas através de imagens etc.

Hoje lanço-vos um desafio diferente :)

Serão vocês que terão que dizer o que acham do meu blog, o que eu vos consigo transmitir, sobre a minha pessoa (espero que o post abaixo não influencia de todo :D). Há apenas uma regra:
Terá que ser em forma de verso (não tem que rimar) e cada frase terá que começar com cada letra do meu nome.

Deixo aqui o exemplo:

S..............
O.............
R.............
A.............
I..............
A.............

Quem se quiser prolongar na escrita terá que dar continuidade com o apelido "Silva".
Os vossos comentários serão apresentados todos como o meu próximo post, de forma a que nenhum tenha conhecimento dos outros comentários antes do tempo :)

Espero que colaborem ;D

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Sou assim e pronto!

Quase todos os dias lidamos sempre com as mesmas pessoas e mesmo assim há sempre alguma coisa que vimos a saber delas mesmas, à qual desconhecíamos.

Ora, eu sou uma pessoa que me dou bem com qualquer outra pessoa, que ajudo sempre que posso, que digo frontalmente tudo o que tenho que dizer e detesto meter-me em jogos psicológicos.
Não sou cínica, muito menos digo as coisas para agradar as pessoas.
não reajo de forma a impressionar os outros, quanto mais não seja agrado-me a mim mesma. Tudo o que tiver a dizer digo quer fiquem com má ou boa impressão minha. Não tenho papas na língua, muito menos me deixo ficar quando não gosto das coisas. Talvez me achem arrogante quando sou mais fria a responder, mas eu só respondo na mesma moeda e tenho sempre em mente "cá se fazem, cá se pagam".
Já fui muito pior, mesmo daquelas mal educadas de língua e respondia a qualquer pessoa, fosse qual fosse a idade.
Hoje tolero mais as coisas, mas não admito que me pisem. Não meto medo a ninguém muito menos tenho medo dos outros. É verdade, as pessoas nao me assustam, o que apenas me assusta são apenas as consequências, mas eu sou orgulhosa demais, para me deixara abater.

Quando conheço alguém fico logo com 2 pedras no bolso, para quando me aperceber que me irão atirar uma, eu atiro imediatamente antecipando-me deles/delas. Isso não significa que não me dê bem com as pessoa, muito pelo contrario.

Tenho constantemente um escudo, tanto na cabeça como no coração, às vezes é preciso. Quando penso pela cabeça, o coração protege-me, quando penso pelo coração a cabeça protege-me, ou seja, Evito muito tempo uma aproximação total de mim. Não as rejeito, apenas me protejo. Quando me decidirem magoar, já não é com facilidade com que o fazem, sou fria nessa aspecto.

No entanto quando gosto de alguém, gosto mesmo, verdadeiramente e se tiver que ajudar ajudo, contudo não me prejudico, pois porque a incerteza de que os outros fariam por mim é constante.
Não gosto que estranhos se aproximem daqueles que amo (e falo de diversos amores), pois o ciume toca-me um bocado, apesar de não o demonstrar. Não sou obcecada por ninguém, nem por aqueles que amo. Fico triste sim se esse amor acabar, mesmo continuando a gostar.

Odeio que me mintam ou que mintam sobre mim, pois fico "cega", e não descanso enquanto não deixar essa pessoa mal.

Nunca, mas mesmo nunca actuo de forma a obter algo em troca, seja amigos ou não. As minhas atitudes são espontâneas, no entanto sentidas e com lógica.

Quer gostem ou não, serei sempre assim. Tenho uma personalidade e feitio especiais, mas as pessoas que gostam de mim, gostam por saber que assim sou, porque acima de tudo sou sincera e amiga. Por mais que magoe nas palavras quando digo a verdade, certas pessoas compreendem, pois estranhariam se agisse de forma contraria. Não deixo de ter amigos por isso e parecendo que não é muito fácil lidar comigo e gostarem de mim!

E pronto, sou assim!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Casa dos segredos - Ivo

A verdade é que este programa para muitos não passa de uma palhaçada à procura de audiências (o que já as tem e bastantes), mas quase que aposto que mesmo os que têm essa opinião, já espreitaram pelo menos uma ou duas vezes este programa.

Como "cusca" que sou, gosto de o ver, principalmente o relacionamento de cada um e os jogos que fazem dentro da casa para alcançarem os seus objectivos.

Quando dou por mim, estou até às 2/3 da manha só a ouvir as conversas de cada um.

sem me avançar muito mais, porque num outro post irei dizer de quem gosto e não gosto e os seus devidos motivos, apenas digo que "NÃO SUPORTO" este gajo:


Acho o tipo TAAAAOOOOO conflituoso (mas mesmo muito), TÃO falso, TÃO mentiroso e TAAAAOOOOO porco, que não o suporto mesmo.
Não é que o gajo está sempre a mexer no nariz, tirando dessa forma as ditas catotas, mete-as no tapete da sala (quando esteve à conversa sentado no sofá) e quando está na cama, depois de as tirar, mete a mão por dentro da cama e cola-as aos lençóis de seguida metendo os dedos com que mexeu no nariz à boca??? F#d@sse£ para o badalhoco!!!

É QUE ISTO NÃO É INVENÇÃO MINHA, VI MESMO ISTO ONTEM À 1/2 DA MANHÃ!!!

PS: gostava mesmo que a Ana Isabel não saísse da casa, gostava mesmo.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Curso da vida

Parte da nossa vida é vivida a estudar, a tirar cursos, sempre a matutar na escola, nas matérias, para que no futuro, tenhamos um bom emprego que nos proporcione uma vida estável principalmente a nível financeiro.
Quanto mais longe formos nos estudos, supostamente a probabilidade de ter um futuro melhor é elevada.

Lembro-me quando era mais nova, queria ser professora de educação física, mais tarde professora de desenho, depois educadora de infância. A verdade é que essas vontades eram anuladas pelo simples facto de pensar que se tinha que estudar muito.

Nunca fui aluna aplicada, no entanto era bastante inteligente, mas satisfazia-me sempre com suficientes, ao menos não eram negas. Depois claro levava na cabeça dos professores por acharem que tinha capacidades para muito melhor. mesmo assim isso passava-me ao lado.
Frequentei o 10º ano no curso de artes gráficas, sempre com o mesmo lema "brincadeira acima de tudo". reprovei por faltas. Quando chovia decidia que não ia para a escola e os meus colegas já se começavam a habituar a isso.

Apesar de ser muito seria numas coisas, quem me conhece bem, sabe que só quero galhofa (brincadeira), sempre tudo com limites.

Acho que a vida deve ser bem aproveitada.
não avancei mais nos estudos porque não quis, não me arrependo, nem sinto diferenças em relação a isso. Hoje há mais desemprego porque as pessoas não querem aceitar qualquer coisa, não pelo nível de estudos.

Podia completar um curso, ir mais longe a nível profissional. não quis seguir o curso dado na escola.
preferi troca-lo pelo curso da vida.

Esse leva mais tempo a terminar, anos e anos, até pode mesmo ser impossível de o acabar. é mais difícil que os outros cursos, mas no entanto mais completo.

Posso não ter muito mais conhecimento no que veio nos livros, mas tenho muito mais no meu dia a dia, a cada dia que vivo é sempre uma pagina de matéria.

Com esta escolha sinto-me feliz, culta, útil, sinto-me viva, nao me sinto inferior a ninguem, sinto-me eu mesma, aprendo com tempo e sem pressões para o futuro. vivo um dia de cada vez com calma, para que essa matéria (do curso da vida) fique bem esclarecida, ensinada :)

uns vão achar ridículo o que escrevi, outros talvez não, mas cada um faz as suas escolhas e eu fiz a minha :)

domingo, 17 de outubro de 2010

Acordei assim...

Bem disposta, tranquila, a querer sossego à minha volta e com vontade de me distanciar num sitio onde apenas possa estar eu e os meus pensamentos :)

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Passatempo da sic (2)

A SIC tornou a lançar um novo passatempo.
O tema era um cartaz sobre o regresso às aulas com a "lua vermelha" e a
"Staples". As regras seriam as seguintes:
O cartaz tinha que ter como obrigatório o logótipo da lua vermelha, o logótipo da Staples, o logótipo da SIC e o Link do site.
Os 3 vencedores ganhariam cada um, um computador novinho.

Ora, eu participei, mas não ganhei, porém fiquei satisfeita com o meu resultado.

Embora dois deles não terem colocado o link do site (o que os tirava da competição), dou os parabéns aos vencedores.

Aqui fica o meu cartaz

Sinceramente achei o meu cartaz muito original em relação a alguns vencedores, mas o que conta é saber perder :)

Vejam aqui os vencedores

(a imagem foi totalmente construída por mim. desde o fundo, o armário posto, a secretaria posta, os actores em posição, a minha imagem, o palco etc)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Esquecer de lembrar...

Diz-se muitas vezes que somos nós que comandamos o cérebro, dizem também que é ele que nos comanda a nós.
Ora, eu acredito que apesar de só funcionarmos devido ao cérebro, somos nós que o comandamos, pois há uma ligação.
Apetecia-me falar de vários pontos, mas hoje só vou falar do "esquecer".

Temos a tendência de querer esquecer tudo aquilo que nos correu mal, tudo aquilo que nos fez mal e que mesmo passando(o acto) somos "torturados" pelas lembranças que insistem em não desaparecer.
Damos ao trabalho, perdemos minutos e minutos a lembrar que temos que nos esquecer de diversas coisas, principalmente aquelas que já são passadas mas que mesmo assim nos "torturam" na lembrança delas mesmo.
O facto de queremos esquecer só poderão ser por 2 motivos: porque algo nos fez passar mal e/ou pelo receio de que os outros possam vir a saber ou perceber.

Mas na minha verdadeira opinião, a melhor forma de jogar com o cerebro (pois é ele que nos tras as lembranças quando as queremos esquecer) neste sentido, é fazer exactamente o contrario.
Ou seja, a melhor forma é não nos lembrarmos que temos que esquecer o problema em questão.

Fui confusa? Não, claro que não, pois há uma justificação para o sentido da minha frase:

Quanto mais nos lembramos que temos que tentar esquecer um problema, mais difícil ele sairá da nossa cabeça, mais difícil as lembranças desaparecem.
Por outro lado, quanto mais nos esquecermos que temos que lembrar em esquecer um problema, mais depressa esse problema é esquecido, mais depressa ficamos sem a lembrança.

PS: L'Enfant Terrible Lx fez um post em que menciona varias questões. Decidi responder no blogue dele, mas o PC fez actualizações e reiniciou , por isso perdi o comentário que estava a fazer.
No entanto não era um comentário tão elaborado como este e uma vez que teria que tornar a escrever tudo de novo, optei por elaborar o meu comentário, falando mais da minha perspectiva sobre este assunto e como o tema para mim é interessante fiz um post, de certa forma respondendo-lhe também a ele.
Ficamos a ganhar os dois (ele por ter mais uma opinião e eu por postar um assunto que me interessava), digo eu :D

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

(A)normal

Parece que estamos perto do Natal e as pessoas já começam a palpitar o que poderão dar ou não ao familiar ou amigo.
Neste aspecto sou como uma criança, adoro receber presentes mas também adoro dar.
A verdade é que já sei que prendas hei-de dar, pois ando a juntar aos bocadinhos todos os dias para que no natal possa oferecer a prenda que tanto quero dar (simples).

Nalgumas circunstancias fico admirada quando as pessoas ficam admiradas comigo.
Quando passamos por lojas estamos sempre a ver portáteis e coisas do género e então dizem-me/perguntam:
Gostavas de ter um no Natal? o que queres ter no natal? Possa a ser que tenhas sorte e tenhas um portátil! (isto enquanto sorriem)

de seguida respondo eu:
Não quero o portatil, quero roupa. Vá, é melhor dares-me o dinheiro porque assim escolho eu! Gosto mais de roupa do que de portateis. (e nao falo de maneira alguma de roupa de marca).

Depois claro, perguntam-me como isso é possível, pois um portátil só para nós é mais fixe.

Claro que é possível.
Toda a gente já devia saber de cor a frase "Gostos não se discutem"!! :)